Dicas de DireitoOAB

17 carreiras que um advogado pode seguir

Por agosto 11, 2021Sem comentários
carreiras que um advogado pode seguir

A princípio, a maior parte das pessoas que optam por estudar Direito tem em mente atuar na iniciativa privada ou fazer concurso público. No entanto, o leque de opções de carreiras que um advogado pode seguir vai muito além disso.

Por isso, neste Dia do Advogado, comemorado em 11 de agosto, fizemos uma lista que inclui cargos que você nem imagina.

A data comemorativa se dá em função da fundação das duas primeiras faculdades de Direito do país: a Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em São Paulo, e a Faculdade de Direito de Olinda, em Pernambuco, posteriormente transferida para Recife em 1854.

Como muita coisa mudou de 1827 para cá, você verá que, atualmente, existem carreiras que um advogado pode seguir que seriam inimagináveis naquela época. Para essa lista, separaremos as opções em serviço público e iniciativa privada, ok?

Carreiras que um advogado pode seguir no serviço público

Existem cargos dentro do Direito que o advogado só pode seguir quando inserido na iniciativa pública, devido a natureza da função. Ainda que não esteja advogando, para maior parte deles, ele precisa de experiência comprovada e da carteirinha da OAB. Listamos abaixo alguns deles.

1# Juiz

Uma das carreiras dos sonhos de muitos estudantes de Direito, o juiz é o responsável por julgar casos envolvendo pessoas físicas, jurídicas, órgãos públicos e privados. Ele pode atuar nas esferas estadual, federal, militar e do trabalho.

Para tomar posse no cargo, o candidato aprovado em concurso público precisa comprovar um mínimo de três anos de prática jurídica.

#2 Delegado

Entre as carreiras públicas que um advogado pode seguir, a de delegado costuma ser a mais desejada pelos advogados que almejam uma atuação no âmbito policial.

Assim como para juiz, na maior parte dos concursos, o servidor precisa comprovar prática jurídica no ato da posse. O delegado pode atuar no âmbito estadual, nas polícias civis, ou na Polícia Federal.

Ele é o responsável por administrar as delegacias de polícia, liderar investigações e resolução de casos.

3# Promotor de justiça

O promotor atua dentro do Ministério Público. Sua função é de defender os interesses do povo e do Estado dentro de um processo judicial.

Da mesma forma que nas duas carreiras anteriores, comprovar experiência jurídica também é um requisito.

Sua linha de atuação pode ser dentro das áreas trabalhista, militar, eleitoral ou da Justiça comum.

4# Procurador

O procurador fica uma posição acima do promotor em nível hierárquico. Ele atua nos Ministérios Públicos Estaduais e Federal e nas Procuradorias Regionais dos municípios, nas áreas Constitucional, Cível, Criminal e Eleitoral.

Além da experiência jurídica mínima de três anos, também são requisitos a carteira da OAB e a formação em Direito.

5# Procurador de Contas

O procurador de contas é o representante do Ministério Público dentro dos tribunais de contas.

Seu papel é o da fiscalização do cumprimento das normas constitucionais, de leis ordinárias, fiscalização contábil, financeira, do orçamento, do patrimônio e de operações do Estado e municípios.

6# Procurador do Banco Central

O procurador do Banco Central, como o próprio nome diz, é o representante jurídico do Banco Central.

Somada a representação extra e judicial, ele também pode ter entre suas funções a assessoria jurídica e consultoria para o órgão.

7# Procurador da Fazenda Nacional

Nesse mesmo sentido, o procurador da Fazenda Nacional representa extra e judicialmente a União em matéria tributária, de cobrança e execução da dívida ativa.

Ele também assume o papel de assessor e de consultor jurídico, aqui no caso para o Ministério da Fazenda.

8# Advogado da União

Ao advogado da União cabe a representação extrajudicial e judicial das matérias que não cabem ao procurador da fazenda nacional.

Ele ainda desempenha consulta e assessoria jurídica para os órgãos do Poder Executivo da União.

Além da carteira da OAB, é necessário comprovar experiência forense para exercer o cargo.

9# Defensor público

Se o promotor representa os interesses do povo e do Estado judicialmente, cabe ao defensor a representação daqueles que não tem condições de pagar um advogado particular.

Segundo o artigo 134 da Constituição Federal:

“A Defensoria Pública é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe, como expressão e instrumento do regime democrático, fundamentalmente, a orientação jurídica, a promoção dos direitos humanos e a defesa, em todos os graus, judicial e extrajudicial, dos direitos individuais e coletivos, de forma integral e gratuita, aos necessitados, na forma do inciso LXXIV do art. 5º desta Constituição Federal.”

Assim como em outras carreiras públicas que um advogado pode seguir, para ser defensor também é necessária experiência jurídica mínima de três anos.

carreiras que um advogado pode seguirCarreiras que um advogado pode seguir na iniciativa privada

Apesar das carreiras que um advogado pode seguir o serviço público ser o sonho de muitos desde antes da faculdade, para outros a iniciativa privada ainda chama muito a atenção. Confira abaixo algumas das opções!

10# Advocacia

Atuar como advogado é uma das primeiras opções. O profissional pode trabalhar em um escritório, criando o seu ou ingressando em algum, ou por conta própria. A dica aqui é procurar se especializar em alguma área como Direito Civil, Direito do Trabalho, Direito Administrativo etc.

Para quem deseja fazer concursos que exigem experiência, o exercício da advocacia também conta.

11# DPO

O cargo de Data Protection Officer (DPO) fico ainda mais importante depois da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrar em vigor.

Esse profissional deve entender tanto de segurança de dados quanto de legislação. Portanto, além da graduação em Direito ser muito importante, também são relevantes os conhecimentos de tecnologia.

O Art. 41º da LGPD lista entre as funções do DPO:

  • Aceitar reclamações e comunicações dos titulares, prestar esclarecimentos e adotar providências
  • Receber comunicações da autoridade nacional e adotar providências
  • Orientar os funcionários e os contratados da entidade a respeito das práticas a serem tomadas em relação à proteção de dados pessoais
  • Executar as demais atribuições determinadas pelo controlador ou estabelecidas em normas complementares

O DPO não precisa ser alguém necessariamente contratado da empresa. Ou seja, ele também pode atuar na figura de pessoa física ou jurídica.

12# Cientista de dados jurídicos

O cientista de dados jurídicos reúne, interpreta e comunica informações adquiridas através de dados de natureza jurídica.

Esse profissional pode atuar tanto em escritórios de advocacia, departamentos jurídicos ou em lawtechs.

Apesar de não precisar de uma graduação no ramo, ele precisa ter conhecimentos Tecnologia ou Ciência de Dados. Universidades estrangeiras como Stanford ou o MIT oferecem cursos gratuitos online sobre o assunto.

13# Engenheiro e arquiteto jurídico

Dentre as carreiras que um advogado pode seguir, eles são os responsáveis pela organização de dados jurídicos.

Em outras palavras, estruturam o conhecimento de forma lógica através de fluxogramas, árvores de decisões e do mapeamento de possíveis cenários jurídicos, processos e operações.

Com esses conhecimentos estruturados pelo arquiteto, cabe ao engenheiro desenvolver sistemas capazes de exercer atividades repetitivas que os advogados já fazem, mas que podem ser automatizadas.

14# Agente de propriedade intelectual

Este é o responsável pela gestão de direitos autorais e do direito de propriedade industrial. Entre as suas funções, está acompanhar o registro de marcas e patentes.

Seu papel é cada vez mais fundamental, principalmente devido ao surgimento de cada vez mais startups e iniciativas de inovação.

15# Legal Designer

Em resumo, sua função é facilitar a maneira como uma determinada informação é passada para o cliente.

Por exemplo, isso pode ser feito através de infográficos ou imagens para facilitar a compreensão de padrões de um contrato ou relatório. Isso também pode ser feito com a ajuda de softwares jurídicos.

A profissão tem inspiração no design thinking. Para além dos conhecimentos legais, o profissional também deve ter conhecimentos de design, UX design, design thinking e UX writing, assim como noções de visual thinking.

16# Marketing jurídico

O marketing jurídico também pode ser realizado por pessoas de Direito o que, por consequência, o insere nas carreiras que um advogado pode seguir.

Um grande diferencial de ter esse profissional atuando no ramo é que ele tem conhecimentos que uma pessoa de marketing ou publicidade não tem, o que pode acabar destacando seu trabalho.

Se o público então for advogados ou pessoas do ramo, sua comunicação será ainda mais bem direcionada.

Para atuar nessa área, conhecimentos de marketing são essenciais.

17# Controladoria e Legal Operations

O Legal Operations cuida de tudo, desde fluxos de trabalho, processos internos a pessoas, deixando para o Departamento Jurídico apenas o que é legal e de ação imprescindível de advogados.

Já a Controladoria, área um pouco mais tradicional, abrange controle de audiências, publicação de processos, entrada e saída de documentos, entre outras atividades.

Você já conhecia todas essas carreiras que um advogado pode seguir? Conta pra gente nos comentários!

Deixe um comentário