ConcursosDicas

Gramática para concursos: dicas para se sair bem

Por dezembro 19, 2016outubro 7th, 2020Sem comentários
Gramática para concursos

Dez em cada dez concursos cobram Língua Portuguesa. Por isso, é preciso tirar todas as dúvidas sobre os principais pontos de Gramática e Interpretação de Texto. Esses dois são fundamentais para a disciplina.

Dessa forma, o candidato consegue ter um melhor aproveitamento na hora de prestar alguma prova e escrever uma excelente redação também.

De acordo com especialistas em concursos públicos, quando falamos sobre Gramática, as principais queixas dos alunos estão em:

  • Acentuação
  • Ortografia
  • Verbos
  • Conjunções
  • Crase
  • Regência

Por isso, selecionamos algumas explicações simples de Gramática para concursos que poderão ajudá-lo a se sair bem na próxima prova de Português – ou redação – que você tiver que fazer.

Verbo haver

Um dos pontos da Gramática que mais geram dúvidas na Língua Portuguesa é o plural do verbo haver.

De acordo com o blog Língua Portuguesa, que ocupou no ano de 2016 o primeiro lugar no ranking das principais páginas de idiomas do Facebook, não é possível afirmar que o verbo haver não tenha forma no plural.

Quando funciona como verbo auxiliar, ou seja, com o sentido de “ter”, ele pode ficar no plural. Veja:

⇒ Os diretores haviam comprado uma parte da empresa. (Tinham comprado)

⇒ As crianças já haviam saído quando o professor chegou. (Tinham saído)

Particípios regulares e irregulares

Outro ponto importante sobre Gramática para concursos que os estudantes devem estar atentos é o uso do verbo em sua forma de particípio.

Quando os verbos ter/haver são usados, a forma de particípio é regular. No entanto, quando os verbos ser/estar são usados, a forma do particípio é irregular. Veja o exemplo:

⇒ Eles já tinham imprimido o trabalho.

⇒ O trabalho será impresso amanhã.

⇒ Ele havia entregado a prova.

⇒ A prova será entregue pelo professor.

Novo acordo ortográfico

O já não tão novo acordo ortográfico da Língua Portuguesa, que entrou em vigor em 2009, ainda continua gerando dúvidas em muitas pessoas que estão se preparando para um concurso público.

Os questionamentos, em geral, se referem à Ortografia e à Acentuação.

Ortografia

Segundo o novo acordo ortográfico, não se usa mais o hífen em palavras cujo prefixo termina em vogal e a palavra seguinte se inicia com as consoantes R ou S.

Nessas ocasiões, o hífen desaparece e as duas consoantes devem ser dobradas.

Vejamos abaixo alguns exemplos de antes e depois do acordo:

  • Anti-social → Antissocial
  • Anti-ruído → Antirruído
  • Anti-reflexo → Antirreflexo
  • Mini-saia → Minissaia
  • Ultra-sonografia → Ultrassonografia
  • Contra-regra → Contrarregra
  • Ultra-secreto → Ultrassecreto

Exemplo de mudança na ortografia

Acentuação

Ainda de acordo com a nova regra ortográfica, os acentos diferenciais ficaram da seguinte maneira:

⇒ Não são mais usados: para (verbo) e para (preposição); pela (verbo) e pela (contração por + a); pelo (substantivo) e pelo (contração por+ o); veem (verbo); deem (verbo).

⇒ Permanecem: pôde (verbo) e pode (verbo); por (preposição) e pôr (verbo); tem (singular) e têm (plural); vem (singular) e vêm (singular).

⇒ Opcional: forma, fôrma.

Você está preparado?

Para passar em um concurso público o candidato precisa dedicar tempo e estudar da melhor forma possível.

Você já organizou seu planejamento? Conheça a nossa ferramenta EduQC Concursos e use a tecnologia a favor dos seus estudos!

Deixe um comentário