ConcursosDicas

13 passos do planejamento de estudos para concurso

Por outubro 27, 2020novembro 11th, 2020Sem comentários
Passos para cumprir o planejamento de estudos para concurso

Fazer um planejamento de estudos para concurso não é nada fácil. Porém, conseguir de fato colocar em prática acaba por ser um desafio maior ainda.

É normal ter essa confusão em relação a como se programar para estudar, principalmente no início da sua preparação.

Para ajudar nesse caminho, reunimos algumas dicas de como montar seu planejamento, para que você não fique com mais dúvidas.

Abaixo, entenda como organizar a rotina para que os estudos façam parte dela; descubra o que não deve ficar de fora da preparação; erros fatais para evitar e, claro, o porquê é tão importante ter um planejamento de estudos para concurso.

Passo a passo para fazer um planejamento de estudos para concursos

1# Inclua os estudos na sua rotina

Antes de falar do planejamento em si, é preciso estar atento a sua rotina. Acredite, você não vai conseguir se manter estudando bem se não tiver bons hábitos diários.

Primeiramente, foque na sua força de vontade. A desmotivação leva a mais desmotivação, até nos perguntarmos se realmente vale a pena o que estamos fazendo.

Por outro lado, muita força de vontade e pouco tempo rende um resultado totalmente diferente. A velocidade da evolução pode ser menor do que quem possui o tempo todo livre, mas ela é consistente.

Uma hora de estudos por dia bem estudados leva o candidato longe. Alguns hábitos fundamentais para conseguir incluir os estudos na rotina de forma saudável são:

  • Alimentar-se bem
  • Dormir bem
  • Praticar exercícios físicos
  • Ter um ritual
  • Ter paz de espírito

Essas dicas que vão melhorar a qualidade de vida e, por consequência, facilitar a inclusão dos estudos na rotina, já que corpo e mente saudáveis são essenciais para uma boa aprendizagem.

Mas aí você se pergunta: como conseguir fazer tudo isso mais estudar?

Quantidade de tempo não significa, necessariamente, qualidade. O segredo para quem tem um dia lotado, entre trabalho, família e outras obrigações, é tornar o horário para estudar o mais proveitoso e efetivo por dia.

Hábitos fundamentais para uma rotina de estudos saudável

2# Use a repetição a seu favor

Se o nosso cérebro não considera uma informação importante, ele a descarta. Por isso é importante sempre revisar os conteúdos.

O mesmo serve para a criação do hábito de estudar. Se você não o repete constantemente, seu cérebro não entende que é algo para ser agregado ao seu cotidiano.

A repetição é uma via de mão dupla. Você precisa revisar os conteúdos constantemente, assim como estudar todos os dias, por menos tempo que tenha. Não adianta deixar tudo para o final de semana, viu?

3# Lide com metas reais

Não adianta se propor a cumprir uma meta que você sabe que não consegue. Só vai gerar frustração.

Também não adianta separar um horário do dia que você sabe que está cansado. Novamente, só vai gerar mais frustração por não conseguir manter a atenção e concentração.

Além disso, tente lembrar dos conteúdos estudados durante pequenos intervalos ao longo do dia. Isso ajudará o cérebro a entender os assuntos como itens importantes a serem memorizados.

4# Tenha um bom método de estudo

A forma de estudar faz toda a diferença e é o segredo para o sucesso! Uma metodologia que pode ajudar bastante é a do ciclo de estudos.

Nela, o estudante divide as disciplinas do concurso que almeja em blocos para serem estudadas na ordem em que aparecem, independentemente do dia e da hora em que se está estudando.

Assim, se você não conseguiu finalizar uma disciplina, pode voltar para onde parou no dia seguinte, sem prejudicar ou beneficiar alguma matéria por conta de imprevistos do cotidiano.

Se o edital do concurso já saiu, pode começar a montar seu ciclo de estudos a partir de duas semanas (14 dias) ou quatro (28 dias) semanas.

Se o edital ainda não saiu e você está estudando pelo anterior, o indicado é usar ciclos de quatro semanas.

As vantagens do ciclo de estudos para concurso são:

  • As disciplinas que você não gosta serão obrigatoriamente estudadas.
  • Ajuda a memorizar, pois você estará sempre em contato com todas as disciplinas.
  • Metas mais bem estabelecidas ajudam na motivação.
  • Alternar as disciplinas aumenta a agilidade do seu raciocínio.
  • O estudo se adapta a sua rotina sem engessar seu dia.

5# Como fazer um planejamento de estudos para concurso?

O ciclo de estudos será essencial no planejamento. Principalmente quando feito depois do edital sair, já que o tempo de estudo será reduzido e não dará para adicionar as matérias aos poucos.

A hora é de fazer um planejamento que envolva todas as disciplinas que caem em seu concurso. Resta saber a proporção de cada uma delas. Para isso, divida as disciplinas em 3 grupos:

1 – Disciplinas grandes que você ainda não estudou: as disciplinas grandes que você ainda não teve contato, para dar uma ênfase maior nelas.

2 – Disciplinas que você já estudou por completo: tudo que você estudou antes do edital. Assim, é possível focar menos aqui, pois a revisão é mais rápida do que estudar um assunto pela primeira vez.

3 – Disciplinas menores que você ainda não estudou: são aquelas sem assunto extenso, como Regimento Interno, por exemplo.

Como montar o ciclo no planejamento de estudos para concurso

Distribua as disciplinas de modo a estudar, no mínimo, uma hora por semana cada matéria. Aloque o restante do tempo entre as disciplinas do grupo 1 e 2, dando prioridade ao grupo 1, até acabar seu tempo livre.

Se, por exemplo, estudou Português, Direito Constitucional e Direito Administrativo, e o edital, além dessas matérias, pedir Direito Previdenciário e Regimento Interno do órgão, sua divisão em grupos seria assim:

#1: Direito Previdenciário
#2: Direito Constitucional, Direito Administrativo e Português
#3: Regimento Interno do órgão

Se você tiver 10 horas semanais, poderia distribuir da seguinte maneira:

  • 3 horas para Direito Previdenciário
  • 2 horas para Constitucional
  • 2 horas para Administrativo
  • 1 hora para Regimento Interno do órgão
  • 2 horas para Língua Portuguesa

Caso tenha pouco tempo livre durante a semana, faça um planejamento quinzenal. Vai ficar mais fácil.

À medida que for concluindo seus ciclos, faça um pensamento crítico sobre você e o edital, e faça ajustes. Pode ser que você ache que precisa estudar mais Constitucional que Português, por exemplo.

Nesse caso, aumente o primeiro para 3 horas semanais e diminua o segundo para 2.

6# Como seguir o meu planejamento de estudos para concurso?

Para seguir o planejamento de estudos para concurso público, dois conceitos que falamos acima são fundamentais: hábito e método.

O hábito é uma consequência da repetição diária, que diminui a força de vontade necessária para realizar nossas atividades.

Se você não tem o hábito de forrar sua cama, isso pode ser uma atividade cansativa. Mas se você tem o hábito de fazer isso todos os dias após acordar, você faz e nem sente que está fazendo.

Com estudos não é diferente. Deve-se cultivar um hábito diário, de preferência com rituais (limpar a mesa, tomar um café, etc) que condicionam o seu cérebro.

Na outra ponta temos o método. Há elementos que devem ser incorporados ao método, como avaliações contínuas, por exemplo. Caso contrário, é quase impossível manter a motivação.

Quando o aluno não mede seu desempenho, se sente perdido, pois não sabe se está melhorando ou não.

Já o contrário é extremamente motivador. Estudar e medir que melhorou desencadeia gatilhos no nosso cérebro que nos mantêm motivados. Com hábito e método, mesmo uma hora por dia no longo prazo produz resultados notáveis.

7# Por que eu preciso ter um plano de estudos?

Sem planejamento o aluno fica perdido, não sabe se está evoluindo nem se está na direção certa.

Com um bom planejamento, avaliações constantes e metas reais com base no que realmente precisa estudar, o aluno tem muito mais chances de ser aprovado. O mais importante é saber que está evoluindo e quanto está evoluindo.

8# Quantas horas colocar no planejamento de estudos para concurso?

Tempo é um recurso escasso, logo, o aluno precisa encontrar formas de tirar o melhor proveito de cada hora que dedica para estudar.

Em média, a aprovação em um concurso público ocorre em 4 anos e 5 meses. Com a EduQC Concursos, reduzimos o tempo médio de preparação para 2 anos e 2 meses.

O aprovado estuda 20 horas líquidas (efetivas, descontadas as pausas) semanalmente. Estatisticamente, a carga com maior aprendizado semanal é em torno de 36 horas líquidas.

Quem estuda mais que isso está desperdiçando energia à toa (em regra). Há gente que estuda 70 horas (dez horas por dia) e não teve resultado melhor por isso.

Quem estudou cinco dias foi melhor do que quem estudou quatro, e quem estudou seis foi melhor do quem estudou cinco. Mas quem estudou sete não ganhou nada em relação a quem estudou seis e, inclusive, vai até um pouco pior.

Quanto a estar mais competitivo em relação a candidatos que estudam há mais tempo, a questão é que depende do conhecimento já acumulado e, principalmente, do método que será aplicado no decorrer da preparação.

Via de regra, além da metodologia, ter constância, ou seja, manter o estudo diário, é que fará a diferença.

9# Como ter um planejamento de estudos para concurso efetivo?

O método da EduQC incorpora um modelo pedagógico completo, amparado pela ciência, que inclui avaliações contínuas, resolução de questões, revisões e vários outros elementos, dando ao candidato liberdade e controle sobre o seu ritmo e forma de estudo.

Quando o aluno não precisa se moldar a um modelo pré-concebido e sabe criar seu próprio método, que se adapta às suas particularidades, estudar fica mais divertido e estimulante.

Há uma grande variedade de métodos de estudo, mas podemos garantir que todos eles têm as mesmas características.

Primeiro, quanto à técnica de estudo em si, opte por métodos ativos, que fazem você pensar. Fazer um mapa mental ou um resumo, por exemplo, é bem mais efetivo que sublinhar palavras-chave.

Nossos alunos resolvem muitas questões, seja para fixar o assunto ou para medir a evolução. Quando nos medimos, estudamos e nos medimos de novo, nosso cérebro reconhece o valor de nossas ações e nos mantém motivados a continuar.

A base da metodologia EduQC é iniciar com um escopo reduzido de disciplinas e aumentar progressivamente. Isso acelera a aprendizagem e faz com que as metas sugeridas sejam personalizadas e possíveis de serem cumpridas.

Ideal para quem tem consciência de que é preciso estudar de maneira antecipada ao edital, ou seja, para quem entende que é necessário focar no processo e não no edital.

O planejamento facilita esse cumprimento de metas e, quem se planeja corretamente, entenderá os momentos de estudar teoria, fazer questões e revisar. Inclusive, quanto tempo gastar nessas atividades.

Além da produção dos materiais, é importante realizar as ações nos momentos corretos. Por exemplo, as revisões por demanda funcionam muito bem e economizam tempo.

Planejamento de estudos para concurso em ciclos

10# Pare de procrastinar nos estudos

Por que deixamos tudo para depois? É porque temos a tendência a querer nos satisfazer a curto prazo, sem pensar no depois.

Não somos tão racionais quanto acreditamos ser. Nosso cérebro não está acostumado a fazer planejamentos de longo prazo. Até pouco tempo éramos caçadores, coletores, de forma que o conceito de planejamento era inexistente.

Nosso sistema límbico, responsável pelos instintos, reinava absoluto em nosso cérebro. O córtex pré-frontal, área do cérebro responsável pelos planos de longo prazo, somente se desenvolveu há alguns milhares de anos, e está em constante batalha com a nossa natureza animal.

Nossa vontade primária não é sentar e estudar por horas. É sair, ver TV, namorar, comer e dormir. Focar nos objetivos de longo prazo não é uma habilidade inata, mas é algo que se aprende, conhecendo o nosso próprio corpo.

Imagine que há dois entes no seu cérebro: Albert e Tião.

Tião é o inquilino mais antigo, mora no sistema límbico. Ele está lá desde os primórdios da vida e existe antes mesmo de se ter consciência da própria existência. Representa seus medos e instintos.

Tião nunca pode ser desligado. Está sempre ativo, tomando suas decisões. Já Albert habita o córtex pré-frontal. Gostamos de pensar em Albert como o verdadeiro inquilino das nossas cabeças, mas isso não é verdade.

Albert acabou de chegar. Ele que contraria Tião e nos faz estudar em vez de assistir a televisão. Mas Albert, como veremos, é velho e cansado. Não aguenta se opor ao Tião o tempo todo.

O que estudaremos são formas de preservar o Albert que há em nós, para usá-lo quando realmente precisarmos.

11# Tenha força de vontade

Nossa força de vontade é finita. Por força de vontade, entenda o que nos faz agir contra nossos instintos imediatos de satisfação, como dar aquela olhada rápida nas Mídias Sociais.

Acontece que os estudos sobre o tema apontam que se trata de um recurso finito. É como se, após uma boa noite de sono, acordássemos com a nossa força de vontade no máximo.

À medida que o dia passa, gastamos esse recurso com coisas que, muitas vezes, nem percebemos. Quando exercitamos nossa força de vontade, ela aumenta. Por isso, é importante vencer as distrações.

Quando a força de vontade acaba, é aquela hora do dia que você não quer fazer mais nada. Além disso:

  • Não queremos tomar decisões
  • Temos aversão ao risco
  • Acabamos escolhendo a mais fácil, menos arriscada e que menos muda nossas vidas

Quando a força de vontade acaba

A ciência já identificou como que se consome a força de vontade.

Crédito ou débito? Carne vermelha ou frango? Instagram ou estudo? Decisões são o grande dreno da força de vontade.

Cada decisão que você toma usa um pouco da força de vontade que você renova durante o sono. Quanto mais difícil, maior o recurso consumido.

Tente não pensar muito no que não é relevante para sua vida. Em vez de escolher o almoço, por exemplo, peça igual ao do seu colega. Nas primeiras decisões do dia a dia, tome a primeira que lhe vier à cabeça.

A vontade deve ser guardada para assuntos importantes. Trace o planejamento antes de realizar as tarefas, preferencialmente no dia anterior, antes de dormir.

12# Todo estudante precisa ter disciplina

Todos que passam em concurso dizem: disciplina é fundamental. E faz todo sentido! Disciplina é quando você planeja e executa conforme o planejado.

Com planejamento, você toma a decisão antes de executar a tarefa e, assim, não gasta sua força de vontade pensando nisso.

Já imaginou na academia, em vez de três séries de 15 em determinado exercício, fazer só o que desse? O resultado seria desastroso.

Por isso o planejamento precisa ser seguido. Se não, o sistema límbico, aquele sabotador, saberá e vai tentar te prejudicar, pois você tentará abandonar o plano a todo momento.

“Será que seria tão ruim parar por 15 minutinhos para olhar o Instagram?” Sabemos que nunca são 15 minutos.

“Será que eu preciso estudar essas três horas mesmo?” Repetir uma ação condiciona nosso cérebro e corpo.

Se você planeja estudar uma hora por dia e consegue, no primeiro dia pode ser difícil. Após alguns dias, nem sentirá que estuda, ou seja, você não terá que tomar a decisão de estudar. Fará automaticamente.

Assim, ficará mais fácil estudar duas, três ou quatro horas. Ao realizar o que foi planejado da forma planejada, você manda uma mensagem subliminar ao seu cérebro: não adianta me tentar.

Planejar estudar duas horas e estudá-las é melhor que planejar oito e estudar três. Planejando e cumprindo, você condiciona o cérebro a fazer isso novamente, sem ter que pensar se é possível fazer.

Ao planejar e não cumprir, virá a frustração e a mensagem para o sistema límbico de que ele é capaz de te fazer mudar de ideia. Como consequência, ele bombardeará sua cabeça quando estiver tentando fazer algo produtivo.

13# Evite esses erros no planejamento de estudos para concurso

Mas o que fazer se você já tem um planejamento e o considera ineficaz ou não consegue render com ele? Muitas vezes, precisamos voltar para as primeiras etapas e verificar o que está errado. Existem cinco erros clássicos:

Erros no planejamento de estudos

1 – Você não mede seu desempenho

A autoavaliação é a prova de que suas horas de estudo estão rendendo, e é fundamental para o seu cérebro se manter motivado a continuar.

Além disso, é só só assim que você vai saber se seus métodos são eficazes e se é necessário fazer alguma mudança.

2 – Você não intercala matérias

Variar o assunto estudado também ajuda na motivação. O efeito é duplamente positivo:

  • Primeiro, nosso cérebro aprende melhor quando estudamos coisas diferentes simultaneamente.
  • Segundo, intercalar matérias nos faz digerir o assunto mais lentamente, o que facilita a consolidação da memória.

3 – Suas metas são irreais

Lembra que falamos sobre a importância de ter metas condizentes com a sua realidade? Isso interfere diariamente no seu planejamento!

Comece com metas mais simples. Permita-se sentir o prazer de cumpri-las para, quando sentir que estão muito fáceis, crescer o seu nível de dificuldade.

4 – Você não se premia

Assim como é prazeroso atingir suas metas, também é poder se recompensar por cumpri-las. Uma forma de fazer isso é assistir a uma série, ver um filme, jogar videogame ou qualquer outra atividade que você goste depois cumprir a meta.

Você merece! Além disso, se dar pequenos prêmios por atingir seus objetivos também tornará sua jornada mais prazerosa de ser percorrida.

5 – Você usa métodos passivos de estudo

Este é um erro clássico. Quem acreditou que estivesse rendendo muito ao ler um texto e apenas grifar as partes mais importantes? O cérebro precisa se sentir desafiado a colocar os conhecimentos em prática.

Uma excelente forma de fazer isso é praticar com questões. Um bom planejamento também vai interferir diretamente no dia mais importante da preparação para concursos: o dia da prova.

>> Acompanhe também a EduQC Concursos no Instagram

Bônus: identifique seus pontos fracos

Você não quer se matar de estudar para chegar no grande dia e descobrir que foi tudo em vão, não é mesmo? É essencial, antes da prova, já saber quais são seus pontos fracos diante do exame, em vez de descobrir na hora.

Algumas formas de evitar uma surpresa desagradável são:

Administração de tempo: não há nada pior do que a sensação de tempo perdido. Por isso, administre bem o seu tempo justamente para escapar da sensação de que poderia ter feito mais durante a prova.

O exagero também é prejudicial: por isso, equilibre a sua rotina. Não adianta estudar muito e não dar um descanso para o cérebro. Pausas são fundamentais para não sobrecarregar o organismo e causar um esgotamento físico e mental. A estafa pode afetar diretamente o seu desempenho na prova.

Considere os imprevistos: existem imprevistos que podem ser evitados no dia da prova se você souber se prevenir. Por exemplo, verificar local e horário antes; sair de casa com antecedência; e se preparar para desconfortos, como calor, frio, fome, sede, roupa ou sapato apertados, etc.

Prepare-se com a EduQC Concursos

Um bom planejamento exige muita coisa, não é? A EduQC ajuda a tornar esse processo mais tranquilo e, assim, o concurseiro pode se preocupar só com o essencial: estudar.

O grande segredo da plataforma é usar a tecnologia como sua maior aliada. O método consiste em um ciclo que envolve:

  • Avaliação
  • Análise de chances em concursos
  • Estudo
  • Concurso e Aprovação

As avaliações mostram como está a evolução no estudo por disciplina e cargo. As questões são apresentadas por nível de dificuldade, que aumenta ou diminui conforme o número de acertos e erros.

Com base no resultado, o usuário acompanha a evolução temporal da sua chance de ser aprovado.

O controle de estudos tem como objetivo mensurar a carga de estudo necessária para você aprender tudo que precisa, dentro do seu tempo disponível de preparação, peso das disciplinas no edital e suas dificuldades particulares em determinados conteúdos.

Conheça a EduQC Concursos e como ela pode ajudar no planejamento de estudos para concurso!

Assinatura EduQC

Deixe um comentário